Clique aqui para acessar o site da Revista Mineração.

 

NOTÍCIAS
Folha Vale do Paraopeba

Salão do Encontro completa 44 anos

Entidade social de maior prestígio da região segue incluindo socialmente os que mais precisam

Na próxima terça-feira, 21, o Salão do Encontro comemora 44 anos. A instituição social é reconhecida com patrimônio cultural e histórico de Betim, e atende cerca de 1.400 pessoas em atividades de geração de trabalho e renda, formação educacional, promoção à saúde e direito à moradia. A organização sem fins lucrativos também é um ponto turístico de referência em Minas Gerais, recebendo por mês, aproximadamente 1.200 pessoas para visitas orientadas.

A entidade, fundada em 1970 pela professora Noemi Gontijo e pelo Frei Stanislau Bartold, foi criada para promover a inclusão social de crianças, jovens, idosos e pessoas com deficiência, por meio da educação, cultura e formações profissionalizante e artística.

Ao longo de 44 anos, o espaço foi responsável pela formação de 8.136 crianças e adolescentes, gerou emprego e renda a 2.930 famílias, com pelo menos um membro regularmente empregado e remunerado pelas oficinas artesanais. E ainda beneficiou indiretamente cerca de 15.100 pessoas integrantes destas famílias por meio do programa de atenção à moradia, com a oferta de refeições, atendimento odontológico ou apoio psicológico.

 “Desde sempre eu tive vontade de trabalhar com crianças simples, esquecidas pela sociedade. No início, eu fui fazendo coisas pequenas por elas, como alimentá-las. Mas, o meu objetivo sempre foi à qualidade de vidas desses pequenos. Porque, se a criança conviver num ambiente agradável e de equilíbrio, ela vai se tornar um bom adulto. E, é necessário que eles tenham noção que a vida é boa e que é preciso aproveitá-la, e o Salão proporciona isso”, aponta Noemi Gontijo.

Educação

O Salão oferece educação às crianças e aos adolescentes, deixando por vezes de lado o convencional uso do caderno e lápis, para ensinar ao ar livre, por meio de atividades lúdicas, criando assim a arte-educação. O programa educacional da entidade é divido em três etapas: creche, pré-escola e escola complementar. Sendo que, nessa última, são oferecidas atividades como circo, flauta doce, jogos pedagógicos de raciocínio lógico, esporte, educação ambiental e reforço escolar. Os jovens participam ainda de oficinas artesanais.       

Artesanato

O Salão do Encontro é reconhecido no Brasil e no exterior como projeto social que mantém as tradições do artesanato mineiro. Atualmente, 223 artesãos participam de 12 oficinas artesanais, dentre elas, de móveis rústicos, tear mineiro e marcenaria de brinquedos.

Atenção à Saúde

Além de oferecer almoço e lanche para todos participantes da instituição, a organização possui infraestrutura completa, composta por horta sem agrotóxicos; criação de vacas Jérsei para a produção de leite para as crianças; criação de coelhos para complemento da alimentação; criação de minhocas para produção de húmus; tratamento odontológico para crianças e adultos; e tratamento psicológico para adultos.

Atenção à moradia

Em parceria com a Cerâmica Saffran, o Salão do Encontro concluiu em 2007 a construção de um conjunto habitacional para atender aos artesãos que não têm moradia. Ao todo, 48 casas foram erguidas em um terreno do bairro Bom Retiro, doado pela Prefeitura de Betim. O condomínio, que recebeu o nome de “Otto Saffran”, beneficia cerca de 140 pessoas assistidas pela Instituição. As casas são de propriedade do Salão e cedidas aos artesãos inscritos nos programas e que estejam em risco social.

Se você quiser conhecer o Salão do Encontro, acesse: www.salaodoencontro.org.br.

Fonte: A redação

Outras Notícias

PUBLICIDADE