Clique aqui para acessar o site da Revista Mineração.

 

NOTÍCIAS
Folha Vale do Paraopeba

Editorial: Edição 374

Tempo seco é perfeito para queimadas criminosas

O tempo seco chegou. As temperaturas oscilando com o passar dos dias o aumento significativo da escassez de chuvas, baixa nos reservatórios da região, além da baixa umidade do ar, indicam que as queimadas serão ainda mais intensas e rotineiras em 2015. O perigo mora ao lado e o vilão pode ser um vizinho ou conhecido seu. 

Quem tem problema respiratório, crianças ou idosos em casa já deve estar preocupado com quem ateia fogo para economizar alguns trocados na limpeza/capina de terrenos e não é por menos. No Brasil, acredita-se que mais de 95% dos incêndios florestais sejam causados pela ação descuidada ou intencional do homem.                   

Em nossa região, agraciada com matas e vegetações abundantes, as queimadas são comuns e bastante perigosas. Minas Gerais é o Estado campeão nessa modalidade criminosa. O batalhão do Corpo de Bombeiros mais próximo de nós está dentro da Regap. O maior número de efetivo e de equipamentos estão em Contagem. Ou seja, se tiver incêndio, o socorro vai demorar. 

Não consigo entender como alguns indivíduos ainda insistem em atear fogo em vegetações que estão, naturalmente, mais secas, propicias a propagar o fogo e combustível gratuito para grandes catástrofes. 

Em outubro do ano passado, no ápice do período seco – e lembrando que houve uma demora enorme para que as chuvas ocorressem no Estado naquela época – o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou, em apenas dois dias, 1005 focos de incêndio em Minas Gerais. Só no dia 13 de outubro do ano passado, um dia apenas, a Região Metropolitana de Belo Horizonte (da qual fazemos parte) registrou 166 chamadas para o combate de fogo em áreas verdes. Em alguns finais de semana esse número subiu para 400, em média. 

O Parque Estadual da Serra da Rola Moça, em Brumadinho, é uma das áreas verdes que mais sofrem com as queimadas, quase sempre criminosas. Mais de 200 hectares foram destruídos pelas chamas no incêndio que durou dias no ano passado. O resultado foi a destruição de importantes mananciais que ajudam a abastecer a população que mora na região. Importante frisar: já estamos sem água. Se houver incêndios novamente a coisa vai ficar muito pior. 

É difícil lidar com a imbecilidade humana. Imaginar que seres humanos são capazes de atear fogo em áreas verdes colocando em risco as vidas animal, vegetal e, até a humana, é estarrecedor. Não é possível que em 2015 ainda tenhamos que lidar com dublês de Nero que cismam em incendiar nosso Estado como se este fosse uma Roma medieval, quando, na verdade, são eles os criminosos medievais da história atual. 

Até agora não recebemos nenhuma informação de ações proativas dos governos municipais e estadual para o enfrentamento esse crime perverso. Nem soubemos de cursos para ampliar o número de brigadistas nas cidades. Ou seja, como quase tudo nesse país, a resposta das autoridades só virá – e se vir – após os incêndios destruírem áreas verdes de tamanhos gigantescos. 

Mas se você é um cidadão consciente, sabe que se atear fogo em um lixo, mato ou terreno poderá colaborar com a destruição da natureza e com a falta da água, denuncie quem pratica essa atrocidade pelo telefone 181 da Polícia Civil. Faça a sua parte e ajude a prender quem pode muito bem matar a vida perto de nós. Não duvide, eles são capazes disso! 

Fonte: Folha Vale do Paraopeba

Outras Notícias

PUBLICIDADE