Clique aqui para acessar o site da Revista Mineração.

 

NOTÍCIAS
Folha Vale do Paraopeba

Editorial: Edição 375

É certo que as coisas no Brasil andaram piorando nos últimos meses. Os preços estão mais altos, embora já tenhamos registrado índices inflacionários bem maiores – beirando os 80%, inclusive. As empresas estão em pânico. Investir no país é dar um salto no escuro, sem rede de proteção e com grandes chances de se arrebentar ao final do tombo. O fato é que o governo petista meteu os pés pelas mãos quando trocou o projeto de um país por outro de poder. Deu tudo errado!

A questão agora é: como tirar o Brasil do buraco que se aproxima? Congresso e Palácio do Planalto devem se entender e chegar a um consenso sobre qual rumo é o melhor a se tomar daqui para frente. Mas eles não querem se entender. É uma irresponsabilidade ter Eduardo Cunha comandando a Câmara Federal. Digo irresponsabilidade porque ele já demonstrou que não está nem um pouco preocupado com o buraco negro que vai engolir o país. Ele quer dar o troco no governo e não importa as consequências. 

A oposição tem esquentado ainda mais o caldo para vê-lo, após 12 anos, entornar e o Partido dos Trabalhadores deixar o poder. Será mesmo que a saída brusca da fragilizada e isolada Dilma Rousseff da presidência é a solução? Ainda tenho minhas dúvidas. Quero deixar claro que não estou defendendo esse governo. E acredito que não há como fazer isso. Mas daí estimular e fortalecer essa pressão covarde e irresponsável do “vale tudo político” já é demais.

É consenso entre economistas que é preciso diminuir os gastos públicos ou a bolha econômica vai estourar – e vai voar excremento para todos os lados, principalmente em cima do povo. É hora de se investigar a corrupção – que não é exclusiva de um grupo ou partido, mas sim uma prática cancerígena instalada nos mais diversos setores públicos e até privados. Mas parar o país que já está péssimo é demais, ao menos por enquanto.

Se as tais reformas [política, agrária, fiscal etc] não forem feitas, a situação só vai piorar. Mas como confiar em um presidente da Câmara que comemora o aumento de bilhões no orçamento do país, que enfrenta o sétimo trimestre de recessão seguido? Não dá para acreditar que essa briga entre os principais líderes do país irá resolver nossos problemas. Não, meus caros leitores, não vão.

Claro que a prisão de envolvidos em corrupção demonstra um avanço enorme no Brasil quando o assunto é punir quem comete delitos desse nível. Também concordo que o governo Dilma está sem rumo. Mas não sei se a retirada dela do poder irá ajudar ou piorar a sensação de descontrole ao qual o país está diretamente exposto. Até as organizações Globo, dita como uma das principais opositoras do atual governo, saiu em defesa da manutenção do mandato de Dilma, mesmo criticando alguns pontos.

A hora não é de descontrole emocional. Agora é hora de pensar de cabeça fria e priorizar o futuro e a retomada do crescimento econômico de um país que chegou a se sentir melhor, mas descobriu que o câncer de antes voltou, e ainda mais agressivo. O tratamento a ser adotado é que tem sido alvo de embates, que em nada ajudam na cura.

Fonte: Folha Vale do Paraopeba

Outras Notícias

PUBLICIDADE